terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Tempo...

"Eu fiz um acordo com o tempo, nem eu fujo dele, nem ele me persegue, um dia a gente se encontra."
(Mário Lago)


   Na adolescência, entre as idas e vindas da escola, lembro-me de uma senhora, magra, de cabelos grisalhos, que sempre estava na porta de sua casa. Ela sempre acompanhava com os olhos meu pequeno trajeto naquela quadra. Foi assim por muito tempo. 


   Nas primeiras vezes em que percebi o fato, ela apenas comtemplava a rua (interpretação minha) em pé encostada na entrada da casa. Com tempo me acostumei com a imagem. Dois anos se passaram, e ela continuava, na mesma casa, mesmo lugar. Mania ou hábito? Não sei.


   No meu último ano na escola, posto que só até ali eu podia cursar. Lembro-me daquela senhora, sentada numa cadeira, próxima a porta entreaberta de sua casa. Já não ficava mais de pé no seu posto de observação.


   Ontem, depois de muito tempo sem passar por aquela rua, uns seis anos depois,  passei em frente a casa da senhora que ficava na porta. A casa estava fechada. Pela aparência julgo que já havia algum tempo que aquela situação tinha ocorrido. Ela não estava mais lá!


   Hoje de manhã, eu estava em frente a minha casa, olhando para a rua, quando um garotinho passou com uma mochila nas costas. Acompanhei com os olhos seu trajeto. Talvez por isso lembrei-me daquela senhora!





Um comentário:

Sissym disse...

Chris, adorei a narrativa, eu me senti naquele olhar. O tempo é um aliado, ora um inimigo, precisamos saber lidar com ele para vivermos melhor.

Marcha pela PAZ!

Siga-nos no VOOZ