domingo, 21 de fevereiro de 2010

Pequenos atrasos, grandes sinais...

O valor das coisas não está no tempo que elas duram, mas na intensidade com que acontecem. Por isso existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis.

Lapsos de memória. Há muito me pergunto o porque dos pequenos esquecimentos diários. Estes esquecimentos causam, consequentemente, pequenos atrasos que de uma forma ou de outra mudam detalhes da nossas vidas.

Tenho uma explicação não-científica para os pequenos atrasos que ocorrem no meu dia-a-dia. Acredito que em todas as vezes que voltei para pegar as chaves, a carteira, o bilhete com o endereço, o exame médico ou documento na pasta, Deus criou naquele momento um propósito para meu atraso. São segundos e minutos que fazem a diferença em nossas vidas quando reparamos nestas situações.

Explico. Tenho fixo na mente que se me atrasei, algo maior disse que era para ser assim. O atraso por vezes chateia quem o vivência. Sabe quando você já está no meio do caminho e lembra que esqueçeu de algo que é indispensável. Tem gente que grita, chinga ou mesmo desiste de voltar, porque não quer atrasar-se, claro. É ai que entra minha crença espiritual(?) de que Deus pede que eu volte atrás, fazendo-me voltar.

Pode ser que, se eu seguir o caminho, ignorando o que esqueci, algo inesperado aconteça. E é estranho pensar assim, mas faz um pouco de sentido.

Certa vez, arrumei as malas para viajar, botei no carro e segui até a rodoviária. No caminho fiquei a perguntar-me se havia tomado a benção de minha mãe antes de sair. Quando parei no sinal, vi pelo retrovisor um carro em alta velocidade, que não percebeu o sinal fechado.

A batida amassou toda a traseira do meu carro. Não houve feridos, mas fui parar a uns 10 metros depois do sinal, estava, lógico, com o cinto de segurança. O rapaz do carro que causou o acidente, comprometeu-se de imediato com as depesas, disse estar com pressa para ir buscar sua avó no aeroporto, e havia tomado o carro emprestado. Chamamos a perícia.

Como eu tinha horário para estar na rodoviária, pedi que meu pai viesse até o local da batida. E quando ele chegou, pedi que cuidasse dos detalhes do acidente, para que eu prosseguisse o caminho, posto que já aproximavasse da minha hora.

Minha mãe veio junto com meu pai. E depois de um longo abraço, deu enfim a benção que eu precisava para vijar tranquilo. Seu eu tivesse voltado antes, esta estória teria sido diferente. Acredito!


Esta foi a ultima vez que não voltei para buscar algo que precisava!

3 comentários:

Maria da Conceição disse...

Olaa
Concordo com você, com certeza alguns atrasos que acontecem nas nossas vidas não é por acaso.Tem sempre um anjo de guarda, um protetor espiritual que nos ajudam e fazem com que esses atrasos sejam beneficos para a gente, hoje em dia nao reclamo mais se acontecer algum atraso pois sei que é para o meu bem.
Bjs

Sumie disse...

Também concordo que os atrasos não acontecem por acaso.

Vanda disse...

Gostei muito daqui, passei a seguir, um abraço!

Marcha pela PAZ!

Siga-nos no VOOZ